Benjamim Franklin (1706 - 1790)
Célebre pelas experiências com eletricidade.
Pesquisa personalizada

 
 
Benjamin Franklin - ficou célebre pelas suas experiências realizadas com a eletricidade.
 
Benjamin Franklin
(1706 - 1790)
 
 
   Benjamin Franklin foi um homem de variados ofícios. Nasceu em Boston, a 17 de janeiro de 1706 e faleceu a 17 de abril de 1790 na cidade de Filadélfia. Homem de vários ofícios, ao longo da sua vida foi jornalista, editor, autor, filantropo, abolicionista, funcionário público, cientista, diplomata e inventor.
 
   Foi também um dos líderes da Revolução Americana, e é muito conhecido pelas suas muitas citações e pelas experiências que realizou com a eletricidade.
Um homem religioso, calvinista, é ao mesmo tempo uma figura representativa do Iluminismo.
 
   O seu pai, Josiah Franklin, era comerciante de velas de cera, e casou duas vezes. Benjamin foi o décimo quinto filho de vinte, nascidos dos dois casamentos.
 
   Deixou os estudos aos dez anos de idade e aos doze começou a trabalhar como aprendiz do seu irmão, James, um impressor que publicava um jornal chamado "New England Courant". Tornou-se um contribuidor desta publicação e foi por algum tempo o seu editor nominal. Os irmãos tiveram uma discussão e Benjamin fugiu para Filadélfia, em Outubro de 1723.
 
   Trabalhou em várias tipografias, mudando de cidade, até que um mercador chamado Thomas Denham o fez regressar a Filadélfia, dando-lhe uma posição na sua empresa.
 
   Em 1732 começou a publicar o famoso Almanaque do Pobre Ricardo (Poor Richard's Almanac), no qual se baseia uma boa parte da sua reputação popular nos EUA.
 
   Alguns dos Provérbios deste almanaque, são hoje muito conhecidos, como:
 
Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje.
 
 Franklin e muitos outros membros da associação filosófica juntaram os seus recursos em 1731 e iniciaram a primeira biblioteca pública de Filadélfia. Os sucessos desta empreitada encorajaram a abertura de bibliotecas noutras cidades americanas.
 

   Em 1758, imprimiu O sermão do pai Abraão, hoje considerado como o texto mais famoso da literatura produzida na América dos tempos coloniais.

   Entretanto, Franklin preocupava-se cada vez mais com os assuntos públicos. Fundou a Universidade de Nova York. Fundou a sociedade filosófica americana, com o fim de fomentar a comunicação das descobertas entre os homens da ciência.
Teria nesta altura já iniciado pesquisas sobre estática.

   Num espaço de poucos anos ele fez descobertas sobre a eletricidade que lhe trouxeram uma reputação internacional. Franklin identificou as cargas positivas e negativas e demonstrou que os raios são um fenómeno de natureza elétrica.

   Franklin tornou esta teoria inesquecível através da experiência extremamente perigosa de fazer voar um papagaio durante uma trovoada, a 1 de Outubro de 1752. Franklin, nos seus apontamentos, demonstra que estava consciente dos perigos e dos modos alternativos de demonstrar que o trovão era elétrico. Se Franklin fez a experiência, não a fez da forma descrita (porque, dessa forma, ela teria sido fatal). As invenções de Franklin incluíram o pára-raios, o aquecedor de Franklin - franklin stove (um aquecedor a lenha que se tornou muito popular, debitando uma corrente de ar diretamente na área a aquecer) e as lentes bifocais.

   Franklin estabeleceu duas áreas de estudo importantes das ciências naturais: eletricidade e meteorologia. Na sua obra clássica A história das teorias da eletricidade e do Éter, Sir Edmund Whittaker refere-se à inferência de Franklin de que quando se esfrega uma substância não se cria nenhuma carga elétrica, mas esta é apenas transferida, de modo que "a quantidade total em qualquer sistema isolado é invariável".
 
   Este princípio é hoje conhecido como o "princípio da conservação da carga".
 
 
 

   
 
Voltar a Biografias
Ir para Arquimedes
Referências: