Primeira lei de Newton
Conhecida como o princípio da inércia.
Pesquisa personalizada
  
 


 
Lei da inércia ou primeira lei de Newton
 
   Até o início do século XVII, pensava-se que para manter um corpo em movimento era necessário que actuasse uma força sobre ele. Essa ideia foi revista por Galileu, que afirmou: "Na ausência de uma força, um objecto continua a mover-se com movimento rectilíneo e com velocidade constante".
Galileu chamou de Inércia a tendência que os corpos apresentam para resistirem à mudança do movimento em que se encontram.

Alguns anos mais tarde, Newton com base nas ideias de Galileu, estabelece a primeira lei do movimento, também conhecida como Lei da Inércia:

  
"Quando a resultante das forças que actuam sobre um corpo for nula, esse corpo permanecerá em repouso ou em movimento rectilíneo uniforme"
 
 
Por outras palavras, isto quer dizer que, se qualquer coisa está em repouso, terá tendência a continuar em repouso, até que alguma força atue sobre esse corpo. Por outro lado, se estiver em movimento, terá também tendência a continuar o seu movimento, até que uma força atue sobre si.
 
Quanto maior for a massa de um corpo, maior será a sua tendência para manter a sua velocidade. A esta propriedade chamamos inércia.
 
A expressão "resultante das forças que actuam sobre um corpo for nula" é, para nós, sinónimo de equilíbrio.
 
 Esse equilíbrio pode manifestar-se de duas formas:
 
Quando a força que atua sobre o corpo é nula (Fr=0) => A aceleração é zero => equilíbrio (pode ser estático ou dinâmico)
 
   O equilíbrio é estático => Repouso (velocidade zero)
   O equilíbrio é dinâmico => Movimento Rectilíneo Uniforme (MRU) (velocidade constante e diferente de zero)
 
 
 
 
 
O princípio da inércia explica porque é que as pessoas se ferem em acidentes automobilísticos. Enquanto os carros diminuem a sua velocidade de forma brusca, devido à colisão, a tendência das pessoas é manterem-se em movimento. Daí resulta  que os corpos são projectados contra o pára-brisas ou outras partes do carro.
 
O uso do cinto de segurança tenta minimizar este efeito, fixando as pessoas ao veículo.
 
Principio da inércia aplicado ao movimento do automóvel
 
Este princípio explica também porque é que somos projetados para trás, quando o automóvel arranca rapidamente.
 
 
 
 
 
Referências: