cfq 7º ano

Telescópio Kepler

À procura de vida extra-terrestre

NASA procura vida extra-terrestre fora do Sistema Solar

A NASA lançou o primeiro telescópio espacial destinado a procurar planetas semelhantes à Terra, com possibilidades de conterem vida e orbitarem estrelas situadas na nossa vizinhança galáctica. O lançamento do telescópio Kepler, de 1,03 toneladas, foi na base militar de Cabo Canaveral, na Florida, a bordo de um foguetão Delta II.

Telescópio espacial Kepler
Fig. 1 - Telescópio espacial Kepler

Trata-se da primeira missão da NASA concebida para detetar planetas, rochosos como a Terra, que orbitem estrelas de que não estejam muito próximas nem muito afastadas, de modo que as temperaturas possam manter a água em estado líquido à superfície, condição considerada essencial ao desenvolvimento da vida.

Colocada em torno do Sol, a sonda fará "um recenseamento planetário de grande importância para a compreensão da frequência do aparecimento dos planetas da mesma categoria de tamanho que a Terra na nossa galáxia (a Via Láctea)",explicou Jon Morse, director da divisão de astrofísica da NASA.

Permitirá também "preparar futuras missões que detetarão directamente e estabelecerão as características desses planetas em órbita de estrelas próximas", acrescentou o astrofísico.

O telescópio espacial recebeu o nome em homenagem ao astrónomo alemão do século XVII Johannes Kepler, a quem se deve a descoberta de que os planetas descrevem elipses em torno do Sol e não círculos perfeitos.

Missão prevista para três anos e meio

A missão Kepler, orçada em 600 milhões de dólares (477 milhões de euros), inicialmente prevista para pelo menos três anos e meio, irá sondar mais de 100 mil estrelas semelhantes ao Sol situadas na região de Cisne e Lira da Via Láctea.

A sonda já encontrou nessa "minúscula região" centenas de planetas do tamanho da Terra, ou maiores, e mais ou menos afastados da sua estrela.

Em busca de exoplanetas

O satélite europeu Corot, posto em órbita em 2006 para procurar exoplanetas (exteriores ao Sistema Solar), descobriu o mais pequeno até agora observado - com perto de duas vezes o diâmetro da Terra - mas muito próximo da sua estrela e muito quente, segundo anunciaram os astrónomos em Fevereiro.

Este telescópio já descobriu mais de 700 exoplanetas, elevando para cerca de 1700 o número de mundos descobertos fora do nosso Sistema Solar.

Entre os novos planetas, estão quatro mundos que têm menos de 2,5 vezes o tamanho da Terra e giram à volta da sua estrela na região onde pode haver água líquida à superfície destes exo-planetas. Pensa-se que a água líquida é fundamental para o aparecimento e a existência de vida.

O telescópio Kepler, cuja objectiva mede 0,95 metros de diâmetro, vai munido de numerosos sensores de luz com um total de 95 milhões de píxeis capazes de detetar fracas variações luminosas indicadoras da passagem de um planeta à frente da sua estrela.

Essa intensidade luminosa mais ou menos grande e a sua frequência permitirão calcular o tamanho do planeta e a duração da sua rotação em volta do seu astro.

Referências:

Notícia avançada pela agencia Lusa, em Março de 2009