química

Tirosina

Modelo e fórmula de estrutura


A Tirosina

Modelo molecular da Tirosina
Fig. 1 - Modelo molecular da Tirosina

A tirosina, (do grego tyros: queijo), uma vez que o queijo é um alimento rico em tirosina. Este é um dos aminoácidos codificados pelo código genético, sendo portanto um dos componentes das proteínas dos seres vivos.

Não pode ser completamente sintetizada pelos animais, apesar de poder ser gerada por hidroxilação da fenilalanina, se esta última existir em excesso.

Este aminoácido também é utilizado na síntese da adrenalina, neurotransmissor do corpo humano.

É metabolicamente sintetizada a partir da fenilalanina, tornando-se seu derivado para-hidróxi, embora seja menos hidrófoba. Este aminoácido hidroxilado participa da síntese das hormonas da tiróide, dos pigmentos biológicos da melanina e das catecolaminas e é frequentemente encontrado nas partes catalíticas das enzimas. Muitas reações químicas que colocam em evidencia a sua função servem para dosear as proteínas nos líquidos biológicos.

A tirosina representa cerca de 3% dos aminoácidos das proteínas do nosso organismo.

A tirosina é um aminoácido presente em alimentos como peixe, abacate e nozes e é importante na formação da melanina que é a substância que dá cor à pele, olhos e cabelos.

Para isso, é necessário que a tirosina seja transformada pela enzima tirosinase e,quando esta enzima não funciona adequadamente, o indivíduo apresenta albinismo.

Fórmula de estrutura da Tirosina
Fig. 2 - Fórmula de estrutura da Tirosina

A glicina serve de precursor a diversas espécies químicas. O ácido aminolevulínico, precursor chave das porfirinas, é sintetizado in vivo a partir de glicina e succinil-coenzima A. A glicina fornece também o bloco C2N central a todas as purinas. Uma das vias de degradação do aminoácido treonina passa pela sua conversão a glicina, embora esta via metabólica seja relativamente pouco importante no metabolismo humano. É ainda precursor na via biossintética da fosfocreatina.

A glicina é um neurotransmissor inibitório no sistema nervoso central, especialmente a nível da medula espinal, tronco cerebral e retina. Quando recetores de glicina são ativados, o anião cloreto entra no neurónio através de recetores ionotrópicos, causando um potencial pós-sináptico inibitório. A estricnina atua como antagonista nos recetores ionotrópicos de glicina. A glicina é, juntamente com o glutamato, um co-agonista de recetores NMDA; esta ação facilita a actividade excitatória dos recetores glutaminérgicos, em contraste com a atividade inibitória da glicina.

Algumas propriedades da Tirosina

Nome sistemático (IUPAC): Ácido (S)-2-amino-3-(4-hidroxifenil)-propanóico

Abreviatura/Símbolo: Y / Tyr

Fórmula química: C9H11NO3

Massa Molecular: 181.19

Ponto de fusão: 297 - 298 °C

Densidade: 1.46 g/cm3

Referências:

Wikipédia - Tirosina

Imagem "Tirosina 3d". Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons